15 de nov de 2012

Das longas ausências e da luz do sol de Outono



Olá.
Pois.
Estive ausente quase um ano.
Eu explico.
Endometriose profunda grave e nalguns sítios rara.
Tudo em mim.
Já sofro disto à anos e passei os ultimos nove meses em casa, a aguardar uma operação que me retirou quase tudo mas ainda nao o suficiente.
Por isso as minhas longas ausências. Como paragens no tempo como quando vislumbramos a luz do Outono num jardim colorido pelo tempo, que, de repente, pára, estanca e quando damos por nós passaram horas. meses, anos e nós ficámos a vislumbrar o jardim quase sem dar conta das coisas à nossa volta.

O colorido vem de quando consigo, nos meus "tempos saudáveis" e (pouco) livres, fazer os meus bouquets, os meus bijoux ou simplesmente as minhas actividades artísticas que podem passar por martelar, serrar, pintar, telas, tecidos ou arame.....ou seja variadas coisas de acordo com o quev apetece no momento.
Desde que crie. desde que de mim nasça algo, do meu âmago, do mais profundo de mim.
Já que nada mais pode nascer sobretudo a partir da operaçao.
O conceito de dar à luz pode ser muito lato e relativo, dependendo da perspectiva que se tenha.
E como nao posso ter mais nada, todo o trabalho que faço, desde uns simples brincos, a uma flor a um bouquet de noiva sao como filhos para mim e ás vezes custa-me desfazer-me deles precisamente por causa disso.
Porque lhes ponho uma parte de mim, têm os meus "dados genéticos" encastrados no seu lado mais recôndito de algo feito artesanalmente, manualmente de acordo com o gosto de quem cria, do seu espírito emotivo.

Bem isto tudo para dizer que estou de volta e trago novidades.

ainda nao tirei fotos mas fá-lo-ei em breve e postarei aqui.

Pelo menos 5 novos bouquets todos diferentes mas todos identificáveis aos meus genes artísticos.

Digo pelo menos porque quem sabe se entretanto, enquanto nao saem as fotos dos mesmos, saem mais um ou outro bouquet....depois é pô-los onde os quiserem acolher, e deixá-los para alguma noiva que queira algo novo diferente e pessoal.
Pessoal para ela e para mim.
Como uma passagem de testemunho, quase uma adopçao.
Com ela fica a recordaçao de um dia especial e irrepetível, comigo fica a recordaçao do prazer da criaçao, do momento em que se ergue a obra terminada e se admira para ver o todo no pormenor de cada milimetro.

Bem, Cá estou de novo. e Vou dar notícias de novo com a assiduidade possível.
Sejam bem vindos de novo.
Seja eu bem vinda de novo.

Até breve.

E Já agora vao passando pelo facebook ok?


Nenhum comentário:

Postar um comentário